Nutricionista baiano Gabriel Passos explica as dietas do verão

Faltando menos de 3 meses para o início oficial do verão, aumenta a procura por diferentes dietas que prometem resultados rápidos e saudáveis – se seguidas com um bom acompanhamento nutricional. Pós graduado em nutrição clínica e esportiva, o nutricionista baiano Gabriel Passos explica a diferença entre duas das dietas mais procuradas em seu consultório, no empresarial CEO Salvador Shopping. “Para a perda de gordura corporal, as mais procuradas são das dietas Low Carb e a Cetogênica. E não à toa: ambas podem trazer resultados muito positivos para a saúde, boa forma e qualidade de vida”, ressalta o especialista.

 

Quais as diferenças entre elas?

 

A dieta Low Carb e a Cetogênica são frequentemente confundidas. Isso ocorre porque ambas possuem a mesma premissa: a redução do consumo de carboidratos. A dieta Low Carb propõe uma ingestão abaixo de 130g de carboidratos por dia e que menos que 30% da energia deve ser fornecida por carboidratos. Esse estilo alimentar também preza pela escolha de alimentos ricos em carboidratos com baixo índice glicêmico. Ou seja, o indivíduo deve priorizar os alimentos em que a glicose (açúcar) é absorvida mais lentamente e, por isso, não ocorrem picos de glicose ou insulina no organismo. Já a dieta Cetogênica é um tipo mais restritivo - já que o consumo máximo é entre 30 a 50g, ou cerca de 10% dos ganhos de energia podem ser provenientes de carboidratos. Nesta dieta, as principais fontes de energia são as gorduras como os ácidos graxos e cetonas. Com a redução de carboidratos, o corpo entra em um estado metabólico chamado cetose, em que a gordura é responsável por fornecer a maior parte da energia para o corpo.

 

Alimentos permitidos na dieta Low Carb

 

Se você deseja aderir a esse estilo alimentar, deve evitar o consumo de alimentos ultraprocessados, açúcar, gorduras artificiais, leguminosas e tubérculos, e priorizar ao máximo os alimentos in natura. São permitidos alimentos como: ovos, carnes (vaca, frango, porco, cordeiro, peixes e frutos do mar), queijos, legumes (brócolis, couve, couve flor, berinjela, pepino, pimentão, aspargo), frutas (tomate, coco, damasco, morango, kiwi, laranja, abacate, limão), oleaginosas (amêndoas, nozes, castanhas), gorduras (azeite, óleo de coco, manteiga), bebidas (água, café, chá, leite de coco), ervas, condimentos e especiarias.

 

Alimentos permitidos na Dieta Cetogênica

 

Assim como a Low Carb, essa dieta privilegia alimentos naturais e limita alimentos processados. No entanto, neste caso, prioriza-se alimentos ricos em gorduras boas. As verduras e legumes estão quase todos liberados, mas alguns devem ser evitados, entre eles batatas, mandioca e a família das leguminosas: feijão, soja, lentilha, ervilha, entre outras. As frutas mais consumidas são o abacate e coco, pois são fonte de gordura. Falando em gorduras, inclua manteiga, castanhas, azeite, castanhas e banha de porco no cardápio. Além destes, carnes, peixes, frango, ovo, queijos, iogurte e açaí puro completam a lista dos liberados. As bebidas que podem ser ingeridas são água, café e chá sem açúcar.

 

6 benefícios das Dietas Low Carb e Cetogênica

 

1 – Menos fome: Ambas dietas priorizam a ingestão de alimentos que aumentam a sensação de saciedade, como gorduras boas, vegetais, proteínas e fibras

 

2 – Adeus gordura localizada: o processo de emagrecimento é acelerado, isto porque, há eliminação da gordura – proveniente dos hidratos de carbono – em vez da perda de músculo

 

3 – Controle da pressão arterial: o baixo consumo de carboidratos  auxilia no controle da pressão sanguínea, já que há diminuição da ingestão de glicose no organismo

 

4 – Redução nos níveis de triglicérides: são moléculas compostas por açúcares que existem no organismo. Ao diminuir a ingestão de açúcares e carboidratos, ocorre uma redução bastante relevante nos níveis de triglicérides, prevenindo o surgimento de inúmeros problemas de saúde

 

5 – Redução de insulina e glicemia: a Low Carb e Cetogênica são bastante indicadas para quem sofre de diabetes ou de distúrbios metabólicos, pois a diminuição do consumo de carboidratos contribui para o controle dos picos de insulina no sangue

 

6 – Redução do colesterol: o maior consumo de gorduras boas potencializa o aumento dos índices de colesterol “bom” (HDL), que tem um efeito de proteção para o coração, e para a diminuição dos níveis de colesterol “ruim” (LDL)

 

Dica do nutri: conte sempre com um especialista. Se você tem interesse se iniciar uma dessas dietas é muito importante procurar orientação de um profissional especializado que irá avaliá-lo e assim poderá indicar o estilo alimentar mais adequado para o seu caso e que vá de encontro com as suas necessidades. Para mais informações, acesse o perfil oficial no Instagram @gabrielpassos.nutri ou entre em contato pelo whatsapp 71 98161-0405 e agende uma consulta direto com o expert em nutrição, Gabriel Passos.

 

 


 

Página anterior Próxima página
publicidade