AMARELO ORO MI MAIÓ: da divindade de Oxum a uma saudação as mulheres negras

 

AMARELO OURO MI MAIÓ: da divindade de Oxum a uma saudação as mulheres negras

Saudar Oxum é exaltar beleza, mas também a resistência de todo um povo.

Amarelo Ouro Mi Maió é um espetáculo de dança da Cia da Mata, que colabora com as discussões sobre o papel da mulher negra numa sociedade machista, misógina e racista e que lhe resume a um objeto. Sua humanidade é arrancada dos seus seios, seja pela violência ou pelas perdas diárias.

A concepção do espetáculo, busca na representação de Oxum, orixá, deusa do ouro, beleza e fertilidade construir de forma combativa e poética um protesto de resistência diante de tantas violências que atinge seu povo, mas sem deixar diluir sua essência neste contexto opressor.

As faces de Oxum busca dialogar com mulheres negras, que através da divindade africana, detentora da beleza, fertilidade e feminilidade reescreve sua própria história e inspira seu povo. A fortaleza presente em Oxum, não esconde sua sensualidade, leveza e poder, nem tão pouco a luta constante para valorizar e reafirmar sua identidade.

Inspirado na musica Oro Mi Ma De dos bantos do Iguape e nos itans que rondam a história da orixá Oxum, busca também se contrapor a violência dirigida as pessoas de origem africana, e a sua construção social e religiosa.

Segundo Cleverton Santos, o espetáculo se justifica pela necessidade de reverenciar Oxum e valorizar o perfil feminino na construção do “divino”. Oxum multiplica-se em diversas mulheres, na grandeza de ser uma só, complementa o coreógrafo.

O espetáculo da Cia da Mata coroa a trajetória de uma companhia de dança afro oriunda do bairro de Mata Escura que desenvolve um trabalho artístico-social com os jovens da comunidade, e tem por missão: difundir e preservar a cultura afro-brasileira e manifestações populares. Assim, o projeto conta ainda com oficinas formativas de Dança Afro e Danças Populares que acontecem de 22 a 24 de Fevereiro.

O espetáculo ocorrerá às 19h no Teatro Raul Seixas – Sindicato dos Bancários da Bahia e será transmitido através da plataforma SYMPLA, onde também podem ser adquiridos os ingressos gratuitamente. Após cada exibição o público é convocado para um diálogo com sacerdotisas e sacerdotes de religiões de matrizes africanas.

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultural do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Serviço

O quê: Espetáculo Amarelo OUro Mi Maió e Circuito de Lives com Sacerdotisas e Sacerdotes Das Religiões Matrizes Africanas

Quando: 26 á 28 de Fevereiro

Que horas: 19h

Onde: Teatro Raul Seixas/ SYMPLA

Quanto custa: Gratuito Informações? @ciadamata e http


Página anterior Próxima página
publicidade