NOB reforça medidas de segurança e prevenção contra o Coronavírus

Por Juci Ribeiro
.                            Ações tem sido implementadas em todas as unidades do Grupo Oncoclínicas no país para garantir a saúde dos pacientes oncológicos e da equipe


Para reforçar os cuidados com a segurança e bem-estar de pacientes oncológicos em meio à pandemia de Coronavírus, o Grupo Oncoclínicas tem implementado importantes adequações no fluxo do atendimento de suas unidades em todo o país. Além da utilização dos EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual) pelos colaboradores e equipe médica e das máscaras pelos pacientes e demais visitantes, uma série de medidas e protocolos de segurança foram adotados nas mais de 60 unidades do grupo. Entre as providências adotadas está a triagem de pacientes por telefone, realizada no dia anterior à consulta e ao tratamento, identificando possíveis casos sintomáticos e, assim, avaliando a melhor conduta médica: manter ou postergar o agendamento. Além disso, o grupo realiza regularmente a medição de temperatura de todos aqueles que ingressam nas unidades, bem como a periódica testagem de médicos e demais colaboradores.

Na Bahia, o NOB, unidade que integra o Grupo Oncoclínicas, colocou tapetes sanitizantes nos acessos principais das suas unidades em Ondina e em Lauro de Freitas. A clínica também colocou sinalizações nos elevadores e nas recepções com avisos para garantir o distanciamento. Dispensers com álcool gel, que já existiam em vários locais da clínica, tiveram sua quantidade aumentada por todos os ambientes. “Adotamos todos os protocolos de segurança para garantir a saúde dos pacientes e de toda equipe”, esclarece o oncologista Rafael Batista, do NOB – Oncoclínicas.

Outra medida adotada pelo Grupo é a redução da presença de acompanhantes em cada unidade e a restrição de representantes de indústrias e demais fornecedores, bem como o acesso independente aos diferentes locais de serviço e atendimento.

“Os consultórios são higienizados a cada uso, antes que o próximo paciente entre para consulta”, informa Rafael Batista. Todas as unidades do Grupo Oncoclínicas estão adotando maior frequência da higienização das recepções, consultórios, banheiros e áreas de maior contato entre os profissionais da equipe e pacientes.

O conjunto de medidas ainda inclui a instalação de proteção acrílica nas recepções e o isolamento de poltronas/cadeiras nestes locais e em consultórios e boxes de tratamento para manter o distanciamento mínimo exigido pelas autoridades de Saúde. Há também parceria com laboratórios para coleta de exames laboratoriais pré-quimioterapia em domicílio e uso da telemedicina para consultas de continuidade. Todas estas ações também foram comunicadas às operadoras de saúde parceiras do grupo no Estado.

O Grupo também promove a gestão do consumo de estoque diário dos principais itens de EPI, como máscaras cirúrgicas, avental impermeável, capote e luvas, realizada com a central nacional para minimizar a possibilidade de desabastecimento.

A empresa também tem realizado inúmeras lives  voltadas para profissionais de saúde, pacientes e público geral. Nessas transmissões ao vivo, especialistas do grupo prestam orientações e esclarecem dúvidas a respeito do novo vírus na rotina de quem enfrenta o câncer.

“O paciente oncológico não pode esperar. Não iniciar ou interromper um tratamento são decisões que podem custar vidas. Nossos protocolos de segurança devem garantir que os pacientes se sintam seguros durante as consultas e o tratamento”, afirma o médico Rafael Batista.  

OC Telemedicina

Uma das ferramentas que também têm contribuído para ampliar a segurança de pacientes e profissionais de saúde é a telemedicina, regulamentada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) em março e pelo Governo Federal em abril. As resoluções autorizaram o uso de tecnologia para consultas online durante o período em que durar a pandemia. Desde então, o Grupo Oncoclínicas, passou a contar com uma plataforma exclusiva para a prática.

O sistema próprio, chamado de OC Telemedicina (www.octelemedicina.com.br), já vem sendo utilizado pelos 850 médicos do corpo clínico em todo o Brasil. Ela tem sido adotada em momentos mais específicos, como uma triagem antes mesmo da primeira consulta presencial, ou continuidade do acompanhamento de casos que não exijam inicialmente atendimento presencial. Os pacientes podem assim receber orientações médicas e serem avaliados com segurança por meio de uma plataforma tecnológica para que se sintam, acima de tudo, assistidos
Página anterior Próxima página
publicidade