Tecnologia é aliada na manutenção dos tratamentos de saúde mental

por Juci Ribeiro

Além da continuidade das consultas, realizadas através da Telemedicina, as ferramentas virtuais asseguram a interação entre pacientes internados e seus familiares, contando com amplo aval do Ministério da Saúde.
Em portaria publicada semana passada, o Ministério da Saúde autoriza o uso da Telemedicina para atendimento de pacientes durante a pandemia do novo coronavírus. O recurso já era utilizado, mas com restrições. O isolamento social, que se tornou necessário conter o avanço do Covid-19, tem sido um desafio para todos os brasileiros, em especial para aquelas pessoas que precisam manter tratamentos de saúde para patologias crônicas, como é o caso de pacientes com transtornos mentais. Diante desse contexto, a Telemedicina se tornou uma ferramenta importante para assegurar a continuidade dos tratamentos sem colocar em risco de contágio pacientes e profissionais de saúde.
A Telemedicina já é uma realidade em Salvador. Há mais de um ano a Holiste Psiquiatria emprega este recurso para atendimentos psiquiátricos e psicológicos. "No cenário atual é crucial facilitar o acesso das pessoas que apresentem qualquer tipo de desconforto psíquico de forma segura. Através da tecnologia, eles podem iniciar o contato com um profissional qualificado ou dar continuidade ao plano terapêutico sem precisar se deslocar até o consultório, garantindo o isolamento bem como a continuidade do tratamento", explica o psicólogo Ueliton Pereira, diretor técnico da clínica Holiste Psiquiatria.
Diante do atual cenário, o diretor clínico da Holiste, Luiz Fernando Pedroso, ressalta que a clínica aumentou em seis vezes sua capacidade de atendimento via Telemedicina, evitando o deslocamento dos pacientes. A tecnologia possibilita realizar consultas à distância, sendo indicado para qualquer pessoa que esteja enfrentando algum tipo de desconforto psíquico. Familiares e cuidadores que precisem de informações sobre o manejo de pacientes psiquiátricos também podem recorrer à ferramenta. 
Para Pedroso, a adoção da Telemedicina nesse momento pode salvar vidas, e a demora do Conselho em regulamentar essa ferramenta foi equivocada.
"Há um protecionismo aos profissionais que acaba afetando os pacientes, principalmente em um momento como esse em que a tecnologia é uma alternativa importante e fundamental para manter o atendimento à população sem afetar a quarentena.", defende.
O serviço de Telemedicina permite que pacientes de qualquer lugar do mundo tenham acesso à assistência psiquiátrica e psicológica. Os atendimentos acontecem através de vídeo conferência, sendo necessário apenas uma câmera, microfone e um dispositivo com acesso à internet (smartphone, computador, notebook ou tablets).

Mantendo os laços – A utilização da tecnologia também é uma aliada para os pacientes que estão em internação para tratamento psiquiátrico. Para esses pacientes, é crucial que as visitas sejam suspensas para a garantia da saúde. A medida já foi adotada pela Holiste, que, porém, decidiu assegurar o contato dos pacientes em internação com seus entes queridos, utilizando os recursos tecnológicos.
"Diante da pandemia, o isolamento social é crucial para conter a transmissão do Coronavírus, principalmente para os idosos, que representam cerca de 30% dos pacientes internados na clínica e são um grupo de maior risco de casos graves. No entanto, sabemos da importância da interação familiar no processo terapêutico, por isso montamos uma estrutura de videoconferência para viabilizar a comunicação diária dos pacientes com seus familiares de forma segura. Além dos pacientes internados, os moradores de nossa residência terapêutica também se beneficiam da tecnologia para manter o contato com suas famílias", explica o psiquiatra Luiz Fernando Pedroso, diretor clínico da Holiste.
Além da suspensão de visitas, o acesso de funcionários e fornecedores também é controlado. Todos passam por triagem antes de entrar no hospital, verificando o quadro clínico, incluindo aferição da temperatura corporal, garantindo a segurança dos pacientes e profissionais da clínica. Também é monitorada a limpeza das mãos com água, sabão e álcool gel.

Página anterior Próxima página
publicidade