CONCHA NEGRA REÚNE MARGARETH MENEZES, LUEDJILUNA E AFROCIDADE

por Juci Ribeiro
Show no dia 8 de fevereiro terá abertura com desfile da marca Crioula

Um grande encontro de artistas da música afro-baiana vai marcar a próxima edição do Concha Negra, no dia 8 de fevereiro, às 19 horas, a Concha Acústica do Teatro Castro Alves (TCA). No palco, Margareth MenezesLuedji Luna e Afrocidade se reúnem para o show especial do projeto AfroPop, com a proposta de afirmar e dar voz ao afro-urbano brasileiro. São artistas que em seus trabalhos individuais já expressam e defendem a força da arte negra ao fazê-la viva, atualizada, contemporânea, inventiva e pujante. A abertura da noite terá desfile de moda da marca Crioula.

INGRESSOS

Os ingressos custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia), à venda na bilheteria do TCA, nos SACs dos shoppings Barra e Bela Vista ou pelos canais da Ingresso Rápido. A produção do evento é da Giro Planejamento Cultural e Pedra do Mar.
O repertório reúne músicas autorais de Margareth, Luna e Afrocidades, além de releituras de destaques em seus trabalhos. Através da música, que o encontro vai expressar o ancestral e afrocontemporânea, o poder e a conexão da voz, do tambor e do computador. Uma apresentação com muito batuque e poesia, que se cerca do respeito profundo às matrizes culturais com o imperativo do tempo futuro, que ressignifica a história e exalta a música afro-baiana como ela é: vibrante, diversa, dinâmica e em constante transformação.
Com a força e o reconhecimento mundial de Margareth Menezes, uma das principais artistas que representa do Movimento AfroPop Brasileiro, o show se alinha ao propósito de trazer novas narrativas contemporâneas para fortalecer o movimento negro e resguardar a sua existência. O AfroPop se coloca como um mecanismo de avanço, contra o apagamento racista da memória, a favor do protagonismo e da representatividade do povo negro nas mais diversas áreas de atuação.
“Precisamos pensar o Brasil com mais pertencimento, mais propriedade. Nosso referencial nativo é necessário para construir um presente seguro. A cultura que não se renova fica estática no tempo, endurece e envelhece dentro da sua rotunda. Vivemos tempos de constante modernização e nós, afro-brasileiros, temos o direito e o dever de nos posicionarmos”, destaca Margareth.
É desta forma O AfroPop brasileiro aposta no Brasil real, no Brasil moderno e no Brasil igual. Carregado de simbologias estéticas, o movimento AfroPop trabalha para o resgate da história, ao mesmo tempo que adiciona camadas de inovação e tecnologias.
ARTISTAS
Margareth Menezes possui carreira de sucesso, consagrada numa trajetória de mais de 30 anos. O seu primeiro sucesso, em 1987, “Faraó, Divindade do Egito”, vendeu 100 mil cópias. Depois disso, foram diversas conquistas que somam 21 turnês internacionais, 16 CDs/LPs e cinco DVDs, além de indicações ao Grammy Mundial, com o disco “Kindala”, com participação de Jimmy Cliff. Em 2018, Margareth Menezes celebrou suas três décadas de música em show na Concha Acústica do TCA, com participação de Daniela Mercury, Jau, Olodum, Marcelo Jeneci e Quabales. Em 2019, a artista lança um álbum de inéditas, através do programa Natura Musical.
Cantora e compositora, Luedji Luna lançou seu primeiro disco, “Um Corpo no Mundo”, em 2017. O álbum reúne diferentes sonoridades, como MPB, samba, ritmos africanos, batuque baiano e jazz, com letras que abordam temas sociais, principalmente no que se refere à identidade afrobrasileira. Reconhecido, o trabalho foi contemplado com o Prêmio Afro (2017) e Prêmio Bravo na categoria Revelação (2018), além de ser selecionado para a feira SIM São Paulo. Com esse disco, a artista já circulou pelos principais festivais brasileiros e diversas cidades do país e no exterior.
O grupo Afrocidade vem sendo reconhecido como uma das mais potentes novidades musicais produzidas na Bahia atualmente. A banda propõe uma mistura de letras politizadas com ritmos populares, como o arrocha e o pagode, além da música afro, dub jamaicano, reggae, ragga e afrobeat. Formada por 12 integrantes, é embalada pela força e musicalidade do pagode baiano para cantar as lutas e resistências do povo negro. Após turnês em São Paulo e em Londres, em 2018, o grupo agora se prepara para lançar seu primeiro álbum, em 2019, através do Natura Musical.

SERVIÇO
Concha Negra – Afropop
Margareth Menezes, Afrocidade e Luedji Luna
Abertura: Desfile Crioula
Quando: 8 de fevereiro de 2020 (sábado)
Horário: 18h30
Onde: Concha Acústica do Teatro Castro Alves
Quanto: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)
Vendas: Bilheteria do Teatro Castro Alves, SACs do Shopping Barra e do Shopping Bela Vista ou canais da Ingresso Rápido. Acesse página de vendas em http://site.ingressorapido.com.br/tca


.

Classificação indicativa: Livre 

Página anterior Próxima página
publicidade