Home office em tempos de coronavírus: organização e proteção

Por Juci Ribeiro

Desligar aparelhos eletrônicos, iluminar cômodos e limpar equipamentos são medidas para lidar com o trabalho remoto nesta fase.

Diante do alastramento do novo coronavírus (COVID-19) no Brasil, o comunicado feito pelo atual Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, no começo de março, sugeriu que unidades de trabalho que possam fazer o uso do trabalho home office, que o façam, afirmou. 
Impulsionados pela medida preventiva, escritórios fecharam temporariamente as sedes e colocaram funcionários para trabalhar de dentro de casa, cultura conhecida como home office. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), esse modelo de trabalho já faz parte do cotidiano dos brasileiros, como avaliado em 2018. O levantamento indica que 3,8 milhões da população nacional já está acostumada a trabalharem em casa. 
Somado agora as medidas preventivas contra o COVID-19, o home office tornou-se uma alternativa eficaz, e de agrado dos empregados. Uma pesquisa feita pelo International Workplace Group (IWG), revelou que 83% dos entrevistados escolheriam empregos que apostam na flexibilidade, como o caso dos trabalhos remotos 
Para o arquiteto baiano Márcio Barreto, um dos problemas desse modelo de trabalho é a falta de organização dos espaços. Segundo o profissional, “o ideal é criar um clima de escritório dentro da sua casa. Uma mesa que comporte todos os seus itens, cadeira confortável, boa iluminação e ventilação são os requisitos físicos ideias para o cômodo que você decidiu transformar em um escritório”, aconselha. 
Entretanto, Márcio sugere não usar o quarto como o cômodo escolhido para local de trabalho. “Será difícil resistir a cama ali ao seu lado, certamente em algum momento você pensará: vou apenas esticar a coluna; e quando perceber, acordará horas depois, com a bateria do notebook descarregando”, explica o arquiteto, que em seguida brinca, “isso acontecia muito comigo”.
Enumerando outras dicas, o especialista aconselha não ligar a TV ou som, e ficar afastado de possíveis distrações, pois cômodos silenciosos são ideais para o home office.
Período de afastamento social 
Márcio Barreto lembra que o perigo do coronavírus muda a higienização dos locais, inclusive o office. De acordo com o arquiteto, ao sair de casa e ter contato com outras pessoas, é necessário limpar os equipamentos, mobílias e estruturas que tenham sido manuseadas por outras pessoas. 
Não esqueça de usar o álcool em gel antes de tocar nos utensílios de trabalho. Caso tenha acontecido de você não se higienizar antes de manusear os equipamentos, higienize o local para que a medida do office não seja desperdiçada. Prevenir nunca será um exagero”, conclui Márcio. 
Para informações e contato, acesse www.arquiteturadobarreto.com
Share on Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment