WILSON CAFÉ VAI REUNIR PERCUSSIONISTAS BRASILEIROS E ESTRANGEIROS NO FURDUNÇO

por Juci Ribeiro

Os blocos afros serão homenageados pelo percussionista Wilson Café na sua terceira participação no Furdunço, no dia 04 de fevereiro (domingo), a partir das 15h, no Circuito Ondina-Barra. Um grupo de 50 percussionistas vão participar do projeto afro Tambores em Cena, que traz no seu repertório uma fusão rítmica do samba-reggae com black music. De cima do micro trio, Café vai reger a orquestra de tambores e cantar sucessos, como Faraó, Protesto Olodum, Dois Neguinhos, Madagascar Olodum, Elegibô, Analfabeto do Negão, Prefixo de Verão e Quando o Ilê Passar.
Entre os músicos, destaque para os Tambores do Mundo, que reúne 30 percussionistas de vários países, entre eles, Irlanda, Alemanha, Espanha, Chile, Bélgica e Itália. Criado por Wilson Café, o projeto promove o intercâmbio de músicos brasileiros e estrangeiros em Salvador. Já no projeto Tambores em Cena, criado por Wilson Café para desfilar no Furdunço, tem como base os alunos da Escola Percussiva, que o percussionista dirige no bairro do Cabula.
Os blocos afros serão homenageados pelo percussionista Wilson Café na sua terceira participação no Furdunço, no dia 04 de fevereiro (domingo), a partir das 15h, no Circuito Ondina-Barra. Um grupo de 50 percussionistas vão participar do projeto afro Tambores em Cena, que traz no seu repertório uma fusão rítmica do samba-reggae com black music. De cima do micro trio, Café vai reger a orquestra de tambores e cantar sucessos, como Faraó, Protesto Olodum, Dois Neguinhos, Madagascar Olodum, Elegibô, Analfabeto do Negão, Prefixo de Verão e Quando o Ilê Passar.
Entre os músicos, destaque para os Tambores do Mundo, que reúne 30 percussionistas de vários países, entre eles, Irlanda, Alemanha, Espanha, Chile, Bélgica e Itália. Criado por Wilson Café, o projeto promove o intercâmbio de músicos brasileiros e estrangeiros em Salvador. Já no projeto Tambores em Cena, criado por Wilson Café para desfilar no Furdunço, tem como base os alunos da Escola Percussiva, que o percussionista dirige no bairro do Cabula.

Share on Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário