Espetáculo de dança Só não me acorde antes encerra II FESTAC

Por Juci Ribeiro

Obra fala sobre o processo de interferência dos sonhos individuais no coletivo, vice-versa



Oito bailarinos em formação da Escola de Dança da UFBA, integrante do Grupo de Dança Contemporânea (GDC), leva para o II Festival Estudantil de Artes Cênicas o seu mais novo espetáculo Só Não Me Acorde Antes, no dia 17 de dezembro, às 20h, no Teatro Martim Gonçalves. Encerrando o festival, a montagem retrata um mundo mágico, onírico para falar sobre a ressignificação individual como instrumento para a significação coletiva e vice-versa.
A obra margeia um universo que surge dos trânsitos entre o conhecido e o desconhecido, daquilo que é aceitável ao que é absurdo, das mudanças bruscas, dos raciocínios súbitos e inesperados, do real ao inventado. Uma temática que se compõe de memória, de invenções, de desejos, de ideias, de rabiscos, de croquis, de fragmentos, de objetos, da arquitetura do espaço, das variações de tempo, da iluminação, das cores, das sonoridades, do contato com outros corpos, dos cheiros, das imagens visuais, textos e escritas.
O complexo jogo está em compor uma Dramaturgia lidando com a não-determinação de tempo e de espaço prévios, onde todos os acordos se firmam em tempo real a partir das pesquisas individuais e de suas interações, gerando e lidando com espaços, lacunas, silêncios, fissuras dentro da obra para que esta possa ser habitada enquanto se constrói.
Deste modo, a obra pretende provocar os espectadores em direção às suas próprias narrativas. “Só não me acorde antes” convida-nos a vivenciar experiências descontínuas que, assim como a ideia de sonho, possam transformar outras experiências por vir. O espetáculo é construído a partir da improvisação e criação em tempo real, em que mostra a relação entre dança, música e luz para falar sobre o mundo onírico.
GDC
A montagem faz parte do Grupo de Dança Contemporânea (GDC), grupo de extensão da Escola de Dança da UFBA, que busca ampliar a pesquisa individual dos estudantes de graduação. O GDC é coordenado pela professora Daniela Guimarães, que atualmente aplica sua pesquisa de doutorado que trabalha a relação da dança e cinema dentro da cena.
Só não me acorde antes é o primeiro trabalho de uma tríade criativa do grupo. No momento, o GDC está montando Como Sonhamos.?, espetáculo a ser estreado em janeiro e estruturado a partir de improvisações, que não são em tempo real e traz também a temática do sonho. A terceira montagem é Criô, um jogo de criação feito a partir de uma carta de baralho, de tarô.
“Este último é uma proposta metodológica para práticas dentro de salas de aula. Com isso, estamos gerando material que pode ser utilizado por pessoas dentro e fora da universidade. É um jogo para aumentar as possibilidades de criação de obras de arte”, explica Daniela Guimarães, ao acrescentar que essa tríade criativa vai gerar um livro de processos, “um compendio das ideias e dos diários de bordo de cada participe” a partir das propostas apresentadas por ela.
A respeito da participação no II FESTAC, Guimarães acredita na importância do intercambio da faculdade com os territórios externos. “Esse ano realizamos o Ocupa Dança, que ocorreu no Goethe, que tem o cunho de levar os trabalhos de extensão para fora dos muros Escola de Dança da UFBA. Exemplos como esse e os festivais universitários fortalecem e nos dá resistência para persistir na arte e na educação”, realça.
FESTAC
Festival Estudantil de Artes Cênicas - FESTAC chega ao seu segundo ano querendo discutir como é criar, produzir e gerir montagens cênicas dentro das escolas secundaristas e universidades de Artes Cênicas baianasEm 2017, o festival realizado numa parceria entre os coletivos teatrais COATO e COOXIA, e a Escola de Teatro da Universidade Federal da Bahia (ETUFBA) ocorre entre os dias 08 e 17 de dezembro, em vários espaços culturais da cidade e ocupando ruas do centro soteropolitano.
Ao todo, serão apresentados 12 espetáculos da capital e do interior do Estado (Feira de Santana, Ilhéus, Jequié e Santo Antônio de Jesus); Mesa de Debate: Gerir Resistência, sobre sustentabilidade e manutenção de festivais universitários; e um Workshop de Crítica Cultural com profissionais da Revista Barril.
O II FESTAC tem o apoio financeiro do Calendário das Artes 2017, edital da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), Governo do Estado da Bahia; e do Programa de Extensão Universitária, da Universidade Federal da Bahia (PROEXT/Ufba).

Serviço
quê: Só Não Me Acorde Antes
Quando: 17 de dezembro, às 20h
Onde: Teatro Martim Gonçalves 
Entrada: R$ 8 (inteira) e R$ 4 (meia) 



Ficha Técnica:
Direção Geral: Daniela Guimarães
Assistente de Direção: Beatriz Adeodato 
Elenco: Bruno Novaes, Sttefherson Lima, Letícia Conceição, Thais dos Reis, Flávia
Rodrigues, Guego Anunciação, Jéssica Damaceno, Laís Oliveira
Músico ao vivo: Gilberto Santiago
Produtor: Dimmy Oliveira
Realização: Escola de Dança da UFBA
Apoio: Grupo de Pesquisa Poéticas Tecnológicas - Corpoaudioviisual (UFBA)

Share on Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário