Porsche responde a processo de filha de Paul Walker e nega culpa, diz site

Porsche responde a processo de filha de Paul Walker e nega culpa, diz site

Segundo 'CNN', Meadow Walker alega que o acidente de carro que vitimou o ator só foi fatal porque o veículo foi mal projetado

                                                                                 Paul Walker em foto
                                                                      antiga (Foto: Instagram / Reprodução)  
A montadora de carros Porsche respondeu, na terça-feira, 29, ao recente processo que Meadow Walker, filha única de Paul Walker, está movendo contra a companhia. A jovem alega que o acidente de carro que vitimou Paul Walker e Roger Rodas, amigo do ator que conduzia o Porsche Carrera GT, só foi fatal porque o veículo foi mal projetado.
Através de um comunicado a "CNN", a empresa alemã alegou que o acidente com o ator aconteceu por direção imprudente e velocidade muito acima a permitida. ""Nós não vimos o processo e portanto não posso comentar sobre as suas especificidades. Como nós falamos antes, nós nos entristecemos sempre que alguém se fere em um veículo da Porsche, mas nós acreditamos na conclusão das autoridades que, claramente mostraram que essa trágica batida foi resultado de uEntenda o caso
Segundo os documentos da ação, obtidos pelo "TMZ", os advogados de Meadow, agora com 16 anos, afirmam que o cinto de segurança usado pelo ator no acidente foi responsável por quebrar suas costelas e sua pelvis, deixando-o preso no banco do passageiro. O processo diz que o incêndio no automóvel começou apenas um minuto e 20 segundos após o impacto, quando Paul ainda estaria vivo. "Paul Walker aspirou fuligem para sua traqueia enquanto o Porsche Carreta GT queimava", alegam os documentos.

De acordo com a ação, o carro estava a uma velocidade entre 63 e 71 milhas por hora (de 101 a 114 quilômetros por hora) quando o motorista, Roger Rodas, perdeu o controle. A afimação vai de encontro à conclusão da investigação do acidente, que afirma que a velocidade era de 80 a 93 milhas por hora (entre 129 e150 quilômetros por hora).

Os advogados de Meadow afirmam que a fabricante de automóveis sabia que o Carrera GT tinha "uma história de instabilidade e problemas de controle", e que o acidente poderia ser impedido se o carro tivesse um sistema de estabilização.ma direção imprudente e de excesso de velocidade", informou.

Share on Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment